quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Como Deus me encontrou - Minha história

Em 1994 , eu era um rapaz que vivia sobre o fanatismo do Rock/Metal, e como bom rockeiro conhecia de tudo e viajava longe para sacar bons shows internacionais, como: Manowar, Iron Maiden, Skid Row, Scorpions, Stratovarius , Deep Purple, Marrilion, e outros...
Foram anos e mais anos curtindo e me embriagando com o Rock, sendo nostaugico e até certo ponto idólatra, pois alem de alvo, o rock era pra mim meu ar , minha esperança , minha ideologia. Lembro-me que na volta do show da banda Finlandesa “Stratovarius” em São Paulo, tive uma experiência com um vazio tremendo dentro de mim, pois esperei tanto tempo por aquele show, e no fim eu pensei: O show foi ótimo, mas eu tenho sede de algo mais duradouro, algo que seja pra sempre. Quando chegava em BH vi o que me alimentou mais um tempo na nostaugia , uma cartaz gigante anunciava que os dinamarqueses do Mercyful Fate estavam de malas prontas para o Brasil, e com passagem por BH naquela semana. Aquela notícia soou como um calmante , e eu esperei por aquele show com mais expectativa ainda. Para quem não sabe, a banda Mercyful Fate é uma ótima banda, tem músicos dos melhores do mundo, mas em suas letras eles abordam o satanismo explícito, e seu líder é um dos sujeitos mais satânicos da cena metal, o famoso King Diamond.
Chegado o dia do show, eu já tava entorpecido , dormi na casa de uma amigo , para que já começássemos a esperar o show juntos. Pronto, na hora e dia certos, estava eu lá, na primeira fila , gritando e batendo cabeça. King Diamond entrou e na hora da musica “Come to the sabbath” ele olhou pra mim e fez o sinal da cruz inversa , eu perdi as forças e fiquei com um medo nunca tido antes . Peguei um taxi e fui embora na hora. Essa foi uma experiência que comunicou muito ao meu coração. Pois ali eu tive minha primeira experiência de fato com o mal espiritual, e pude falar pra mim mesmo: O mal existe.Era como a cientista do filme "CONTATO", eu tinha tido uma experiencia empirica com o mal mas nao podia provar isso para ninguem,a nao ser para mim mesmo.
Em meados de 1997 tive contato com uma banda evangélica aqui de minha cidade, o líder , um cara bem carismático e meu amigo, vinha em minha casa quase toda semana trocar idéia sobre música e sobre a cena Rock. Só que em suas visitas, eu ficava meio que com pé atrás , afinal era uma pessoa crente, que segundo meus conhecimentos, essas pessoas eram massas de manipulação , não eram estudadas, nao eram esclarecidas , seguiam lideres obcecados por grana e por ai vai, e com isso, meu pé ficava bem atrás.
Só que esse amigo, era doce, cordial, passava por uma crise financeira braba, sem soar murmurador, e sempre sem me julgar por não ser como ele, coisa inclusive que me fazia pirar, pois sempre os crentes eram obcecados em forçar as pessoas a crerem como eles.
Eu fui em vários shows de sua banda, viajei inclusive para outros estados , e me relacionava abertamente , até que no dia 28-01-98 fui achado, essa é a palavra que me vem á mente 10 anos depois, fui encontrado por uma pessoa. Dentro de mim algo dizia, “É HOJE, ENTREGA TUDO E VEM”. Eu estava sozinho na sala da casa desse amigo, ninguém me forçou a nada, a não ser essa doce voz, com ar seguro e me propondo a ruptura com tudo. Voltei-me ao quarto e disse: Meu amigo, o que devo fazer para ter esse Deus que vc diz ter na vida? Ai ele me contou a história de Abraão, da promessa de Deus , e disse que Abraão teve que ter um coração somente para Deus, tendo que renunciar até a paixão pela promessa que Deus havia lhe dado. Foi só isso , e como um relance entendi que uma séries de coisas me tomava o lugar de Deus, e uma delas era a paixão pelo Rock. A principio e mal orientado, achei que renunciar era não ouvir mais , com isso vendi tudo que tinha, uma coleção de mais de 500 lps , e uns 300 cds na época, caríssimos, muitos deles importados. Dei, vendi, joguei fora, fiz de tudo para ficar livre do mal . Com o tempo veio maiores orientações de Deus e eu pude entender que o mal não era a musica em si, e sim meu coração , e que eu era independente e precisava do governo de Deus.
Passados 10 anos disso tudo, avalio o tempo que caminho na busca de Deus..digo busca , pq me sinto ainda tão longe dele, não por causa dele, mas por mim..nao que ele se esconda, mas porque eu ainda não o conheço plenamente. Sou uma pessoa mais feliz, e meu senso de existência só teve norte em Jesus, ele de fato me deu sentido de existir. Sei que a fé cristã tem seus desafios filosóficos ,mas o meu maior desafio tem sido o de conhecer e experimentar JESUS no dia a dia. Em 1999 passei por uma depressão , mas creio que sou outro homem depois disso, a dor do momento era inexplicável , mas quando tudo passou eu louvei a Deus por essa depressão, pois foi nela que de fato entendi o que é andar com Jesus, o que é a vida com Deus, e o que a igreja de forma errada diz sobre fé e crença. Foi nesse momento também que vi que sou ruim, que de mim mesmo não consigo fazer o que DEUS quer, e o que é viver pela graça.
Aprendi a amar a Igreja, com I maiúsculo . Aprendi que ser discípulo de Jesus é muito mais que apenas se denominar cristão, mas de ser cristão e de viver uma vida sem firulas e artimanhas com Deus. Nesse momento vivo com meus amigos irmãos aqui em Nova Lima de forma informal, onde nos vemos para rir, chorar, se alegrar, e nos edificar. Porem a algum tempo frequento uma comunidade Batista em BH a qual julgo leve e teologicamente sadia!!!
Essa é minha história, o evangelho segundo Eduardo Vaz que dia após dia vem sendo escrito.
Deus é bom.....

4 comentários:

Renato Camargos disse...

Pra quem já teve um contato com Cristo e quer manter sua experiência pura, sabe que não é fácil distinguir o que é cristianismo e o que é religiosidade cristã. Perdi as contas de coisas que já fiz, pensei e segui querendo agradar a Deus e no fim ví que de Deus só tinha a nomenclatura. Eduardão, você é um cara que tem uma sinceridade que, mesmo sendo as vezes "chocante", nos ajuda e separar o joio do trigo e rasgar as farsas. Legal a idéia do blog. Gostei mano. Vai fundo.

Alessandro disse...

Grande Irmão Eduardo, já tinha sacado uma síntese do seu testemunho nas saudosas páginas da Metal Mission, muito legal sua descrição mano, eu também já curti essa maldita neurose denominacional, hj não valorizo muito o lugar, aprecio mais a palavra e tento absorve-la buscando sabedoria, entendimento, revelação do que Ela tem para me ensinar...a vida com Cristo é assim...um eterno aprendizado!!! Como vc me escrevia nas cartas e nunca esqueci... "sigo em Cristo".
Um grande abraço!

DEIA disse...

EDUARDO,QUE HISTÓRIA FANTÁSTICA!!!!DEUS É O CAMINHO...TODOS NÓS JÁ PASSAMOS POR EXPERIÊNCIAS DESTE TIPO.MAS AQUELES QUE DEIXAM JESUS ENTRAR NA NOSSA VIDA VERDADEIRAMENTE,ENCONTRA A SALVAÇÃO!
DESEJO DE CORAÇÃO QUE SUA VIDA SEJA REPLETA DE BÊNÇÃOS,DIARIAMENTE.PARABÉNS PELA GRANDE MATÉRIA.ABRAÇOS,
ANDRÉA SILVA CARMO

Diego Marcell disse...

Bonita história de mais um filho de Deus. Ele acaba nos direcionando sempre, independente do tempo que leve.

Paz.